terça-feira, 2 de maio de 2017

Inteligência ignorante



Nestes tempos de tantas pessoas ingênuas, inconscientes, mal e erradamente informadas, elas são ridículas ao confundir esperteza e desonestidade com inteligência. Sobre um personagem que, exageradamente e até irritantemente, sempre está em evidência nos meios informativos, às vezes como vítima e outras como ele sendo vilão, falam e escrevem considerando-o como sendo inteligente, porque “soube se envolver em fatos ilícitos” sem deixar provas irrefutáveis contra sua pessoa. Que paradoxo! Então, quem comete infrações graves e sabe ocultá-las é uma pessoa inteligente? Pelo jargão popular se diz que tal pessoa é “sacana, pilantra, picareta” e etc. Pelas distorções epidêmicas que existem aqui no Brasil, ética, moral, cultura, franqueza, honestidade e caráter são agora qualidades apenas para retórica ou para discurso. Tais qualidades indesejáveis agora, elas provocam fracassos nos envolvimentos para se obter vantagens imorais, ilícitas ou ilegais.

Sobre o personagem acima, aquele considerado inteligente, os que assim o consideram devem ser também “inteligentes” como ele.  Desde tempos imemoriais quem comete erros, injustiças e desonestidades conscientemente, é impossível que seja inteligente. Quem se apropria do que não lhe pertence é um retardado. Não é ser inteligente como muitos dizem. Dizem isso por terem os valores distorcidos. Desonestos também, pois, se tivessem a mesma chance, como se insinuam, seriam retardados iguais nas desapropriações de bens que pertencem a outros ou ao país donde vivem.

Incrível como existem pessoas que não se preocupam no manter intactas as suas reputações. Deixam-se notar ao lado de pessoas sabiamente desprovidas de caráter, desonestas e até ladras. Não se envergonham de serem fotografadas ao lado delas e nem se intimidam ao dizer que são amigas delas. Com isso deixam transparecer que aprovam os delitos praticados por elas. Mas, que “inteligência ignorante” daqueles dados a furtar sem necessidade, se como se sabe, eles já ganham o suficiente para viver confortavelmente. Como será que vivem os pais daqueles desonestos? Como será que vivem os cônjuges daqueles e daquelas que roubam? Como será que vivem os filhos daqueles pais corruptos? Será que se envergonham e evitam frequentar lugares onde pessoas honestas frequentam? Nunca ouvi um pai ou uma mãe reclamar de seus filhos que sejam sacanas, nunca ouvi uma esposa ou um esposo reclamar que o cônjuge é pilantra e nem ouvi filhos reclamarem que seus pais são picaretas (risos). Então... Todos vivem em paz e convivem bem confortáveis com recursos alheios. Podem até aprender a fazer pão, pois, todos eles são farinha do mesmo saco (risos).

                                                                                   Altino Olimpio