quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Saudades dos bailes de outrora

Esquecido no guarda-roupa estava um livro (talvez o penúltimo) de atas do antigo Baile da Saudade do Clube União Recreativo Melhoramentos de São Paulo, da Cidade de Caieiras. Primeira ata do livro conforme está escrito:
“Ata da reunião ordinária realizada no dia 20 de maio de 1964 com a presença dos senhores diretores foi aberta a sessão as 19,30 horas.
Nesta reunião ficou resolvido enviar ao club da saudade do Brasil F. C. convite para o nosso baile. Em seguida foi lida a correspondência recebida dos senhores Pedro Godói, Carlos Generali, Artur Del Porto, Alfredo Casaroto, Luiz Nani, Pedro Dal Osto, Nerio Boreli, Jorge Dias de Moraes, Jaime Crispim, todos pedindo demissão, que foram concedidas ficando nosso diretor artístico encarregado de contratar músicos. Nada mais havendo a tratar encerrou-se a sessão as 21,00 horas”.
Secretário Stephan Kiss
Presidente Rubens (Não consegui decifrar o sobrenome, seria Crispim?).

Terceira ata do livro: “Ata da reunião ordinária realizada no dia 17-10-64 com a presença dos snrs diretores as 20,00 horas. Foi lida e aprovada a ata anterior, em seguida foi lida a correspondência recebida dos snrs José de Araujo, Nivaldo Soares, Nicolau Cardoso, Antonio Melo, José Osvaldo Polkorni, Nelson Calandrini. Todos com propostas para ingressar no nosso quadro social, que foram aceitos. Do snr Oswaldo Crispim pedindo sua demissão. Em seguida foi lido o balancete que foi aprovado. Ficou resolvido enviar ao senhor João Menegati, agradecendo seu donativo de Cr$ 20.000,00 uma carta. Sem mais a tratar encerrou-se a reunião as 22,00 horas”.
Secretario Stephan Kiss 
Presidente Rubens… (outra vez não consegui decifrar o sobrenome)  

Infelizmente, aqui não serão citados nomes de muitas pessoas muito conhecidas em Caieiras e que constam nas demais atas. Isso porque em muitas atas existe dificuldade para lê-las e como visto nas duas atas acima reescritas na íntegra nem constam os nomes dos diretores do clube.
Uma curiosidade na ata de 5-3-65: O Odair Donas solicitando o empréstimo de 200 copos para a festa de seu casamento. Também eu tive o prazer de participar da diretoria do Clube da Saudade de Caieiras, cujos bailes foram realizados no salão ou caramanchão do Clube União lá no Bairro da Cerâmica: “Ata da reunião do Clube da Saudade realizada no dia 31 de janeiro de 1973. A mesma teve seu início às 20,15 horas, com a presença de sua nova diretoria assim constituída: Presidente Odecio Gardim, Vice Miguel Rodrigues, 1º tesoureiro Mauro Pelizari de Souza, 2º tesoureiro Durval Barbosa, 1º secretário Leonel Del Porto, 2º secretário Plácido Cunha, Diretores de Patrimônio e Social Altino Olimpio e Eduardo Pinto cunha (o Sucuri). Essa mesma diretoria foi reeleita para 1974 com o Mauro P. de Souza sendo o presidente no lugar do Odecio Gardim”.

No início essa diretoria foi criticada pelos diretores fundadores do clube por não mais exigir que a orquestra do Senhor Sergio Valiosa tocasse músicas de ritmos bem antigos, como, maxixe, xote, baião, chorinho, valsa e etc. Tais ritmos mais eram para as pessoas já bem idosas. Outra curiosidade (ou maldade) era o apelido de Baile do PM (Baile do Pau Mole, risos), apelido este dado pelos mais jovens do lugar, mais por causa dos ritmos muito antigos “dos bailes do tempo do onça” que só os muito mais velhos é que sabiam dançar. Também, à meia-noite o baile era interrompido para os associados se alimentarem. Tudo era servido em duas ou três fileiras de mesas bem compridas e por isso os sempre brincalhões de plantão do lugar diziam que era a hora de se comer no cocho (risos). Essa e outras “intelectualidades” fizeram parte da história local. Eta cidadezinha de gente sempre pronta para criar situações cômicas onde nada de cômico existia (risos).

Nas duas gestões em que participei da diretoria do clube, nós já servíamos, à meia-noite, os lanches ou refeições sobre mesinhas individuais e por isso não havia interrupção nos bailes. Os repertórios musicais com ritmos para dançar mais atuais como, samba, mambo, rumba, valsa e bolero, promoveram mais animação aos bailes. Casais mais jovens foram atraídos para o quadro de sócios do clube. Isso nos fez limitar também o número de sócios, recusando outros interessados por causa da estrutura simples de que dispúnhamos. Sócios a mais poderiam superlotar o salão de baile e por isso tínhamos uma quantidade considerada certa (mais ou menos 100) para poder bem administrar o clube. Terminando, as atas do livro terminam na página cem, na data de 9/6/1976 com a diretoria do clube constituída pelos seguintes senhores: Lourides Del Porto, Nivaldo Soares, Fiorelo Rosolem, Odecio Gardim, Raul de Oliveira, Leonel Del Porto, Paulo Pinho e Rafael Coccuza. Outro livro de atas deve ter tido existência como continuação deste que está em meu poder, mas, não me lembro porque ainda o tenho sob minha guarda. Triste dizer que a maioria daqueles daquelas diretorias do clube da Saudade de Caieiras, bem como muitos dos seus associados, hoje, só continuam existindo nas lembranças de quem ainda os recordam. Os que se foram... Foram existentes para promoverem agradáveis entretenimentos para a existência de outros.

                                                                                     Altino Olimpio