segunda-feira, 5 de outubro de 2015

O futuro é o reviver o passado



Cheguei para estes tempos de agora
Eles são os futuros do meu passado
Nestes presentes de viver ausente
De emoções iguais as de outrora
Daquelas que ficavam na memória.
Agora os dias passam sendo apenas dias
São eles rotinas sem nada a destacar
Do amanhecer ao anoitecer
Do acordar até outro adormecer.
São dias comuns sem nada propicio
Para serem partes da lembrança.
No passado de minhas andanças
Tinha no futuro a esperança.
Agora nele ela deixou de existir.
Neste presente que é o futuro do meu passado,
O passado se sobrepõe ao presente
Tornando-o insignificante sem história
Se comparado com a memória do passado.
Ele foi o transpor dos tempos românticos,
Inexistentes agora nestes tempos modernos.
Mocidade que também significa passado,
Ela era a razão de muita empolgação.
Agora quando a morte logo será o fim do futuro,
Passado e presentes também irão perecer
Porque não mais vou poder me perceber.
Voltando ao passado parece que minha vida
Foi-me dada como sendo um presente
E que foi vivida sem se importar com o futuro.

                                         Altino Olimpio