quarta-feira, 30 de abril de 2014

Nossos sonhos

Quem sempre se lembra dos seus sonhos? Às vezes ao acordarmos nos lembramos de um sonho e ficamos a perguntar quem era a pessoa que apareceu nele. Não a conhecemos, nunca a vimos. Estranho ela ter aparecido. Estranho sim, mas, para nossa consciência objetiva ou, para nosso estado consciente, aquele de quando estamos despertos. Nossos olhos viram a tal pessoa em algum lugar, talvez, distraidamente porque ela nada tinha de especial ou diferente para atrair a nossa atenção, demoradamente, para reter sua imagem na memória. Logo a seguir a imagem dela é esquecida como se nunca a tivéssemos visto. Entretanto, nosso subconsciente pode ter memorizado a imagem da pessoa esquecida por nós no estado consciente, objetivo, e no sonho a pessoa “desconhecida e nunca vista” aparece porque o subconsciente a liberta do acúmulo de visões gravadas contidas nele. O subconsciente não inventa visões de pessoas nunca vistas pelos olhos. No sono ou no dormir, quando nosso estado consciente, digamos, está desativado, isso deixa livre o subconsciente para ele nos enviar imagens em formas de sonhos. O subconsciente arquiva tudo que capta em nosso estado de vigília sem nós percebermos e quando quer, e como quer e o que quer lança para a nossa mente quando sem consciência nos encontramos adormecidos e incapazes de controlar ou escolher as cenas que nos surgem em sonhos. No estado desperto, consciente, podemos escolher no que pensar, mas, não no estado onírico. Se nós pudéssemos escolher com o que e com quem sonhar poderíamos em sonho compensar nossos desejos irrealizados, embora, apenas psiquicamente. Como não é assim, temos que nos conformar com o que aleatoriamente, agradável ou desagradável nos surge na mente quando estamos adormecidos e inconscientes da vida, do mundo e de tudo. Até podemos ser surpreendidos por um pesadelo horrível quando tudo nos parece real. Durante as sensações apavorantes do pesadelo só seremos aliviados delas se acordarmos. O homem, o eterno desconhecido de si mesmo não sabe do que se passa com ele enquanto dorme e às vezes nem quando está desperto, quando pensa que está e pode não estar, totalmente. Pois, perdido ou envolvido em seu estado subjetivo, aquele chamado de “sonhar acordado” de quando os pensamentos o alienam do estado presente de onde se encontra, ele, o que é comum, se torna despercebido de estímulos exteriores, incluindo os sonoros. Como exemplo, mesmo ele estando entre outras pessoas que estão a conversar, ele pode não entendê-las se está mentalmente distante delas, distraído em seu interior estado subjetivo.  Voltando aos sonhos, eles fazem parte de nossa existência e quando lembrados, se agradáveis, eles nos causam um mental prazer, principalmente pelo momento do nosso acordar.

                                                                                                      Altino Olimpio


quinta-feira, 24 de abril de 2014

A Santa FIFA


 Todos os ignorantes do mundo não sabem, nem imaginam o quanto a humanidade está religiosa. A mais querida santa do mundo esteve em cinquenta e nove países e por último, já no mês de abril deste ano de dois mil e quatorze, iniciou a abençoar os brasileiros nos mais de duas dezenas de Estados Brasileiros. É interessante ver pela Mídia como garotos já bem “esclarecidos” se emocionam ao se aproximarem da santa. Ela é de ouro e estará a promover muitos milagres. É inacreditável que ainda possam existir pessoas tão desumanas desinteressadas em ver a santa. Individualistas, não querem perder tempo em suas ocupações supérfluas, como perder tempo em seus empregos, em suas escolas, em suas faculdades e etc. para verem a tão milagrosa santa. Para a vinda dela para o Brasil o governo brasileiro se exauriu de vários bilhões de reais, dinheiro do povo para construir suntuosos templos para ela ser adorada. Se a Santa FIFA ficar por aqui depois do mês de junho onde mais ela é querida, claro que, deverá ficar onde mais existem mentes evoluídas e iluminadas. Estas só existem lá na Cidade de Brasília.

                                                                                                     Altino Olympio


terça-feira, 22 de abril de 2014

A tua estrada


 Então, você está numa estrada da vida, deserta? Surgem-te pensamentos de como você está só. Alguns rostos já desfilaram em teus pensamentos e parece que eles te estão tão distantes. A melancolia te invade. Parece que ninguém se importa com você. Parece que todos estão na alegria de viver e você não. Quando se é jovem não se tem pensamentos como esses. Na juventude a busca por sensações faz com que se tenha vontade de sempre estar em evidência, mas, não deve ser o teu caso. As distrações, as sensações já não te atraem. Envolvimento com outras pessoas também não. Parece que você está numa encruzilhada da vida, não é mesmo? Teu mundo está cada vez mais restrito. Parece mesmo que ninguém se importa se você existe ou não e você também tem o mesmo sentimento sobre os outros. Isso não se pode confidenciar. Ninguém te entenderia e até iriam te considerar egoísta ou anti-social. Você está numa fase da vida quando tudo te aborrece, inclusive pessoas.  É, a perda das ilusões, às vezes, promove mesmo uma espécie de vazio considerado impreenchível. Você olha para o passado e nele se vê como era tão diferente, tua vida era tão cheia de vida. Agora, tudo o que passou, passou. Nessa fase da vida em que tu te encontras, a vontade de se sentir só não é mal. Dá-te mais oportunidade de sentir a vida como ela é pra ti, sem a intervenção de outros. Você já não mais quer dividir seus pensamentos com eles e os deles não te interessam mais. Tudo é dejaví, tudo é óbvio e isso te é insatisfação. Na tua estrada da vida você se sente no anonimato e está num trajeto sem saber aonde chegar. O aonde chegar não importa. Qualquer lugar sempre ele é onde você está. Você é que é o lugar em qualquer lugar onde estiver. O estar consigo mesmo produz uma paz indescritível nos momentos em que você é você e nada lhe perturba. Volte sempre para o teu íntimo onde está a tua estrada particular e nela caminhe quando necessitar daquela paz que não existe fora de ti. Com tanta confusão no mundo e tanta confusão nas pessoas, melhor mesmo e viver na solidão, queiramos ou não.

                                                                                                    Altino Olimpio


quinta-feira, 3 de abril de 2014

"Coisas" da vida

O tambor faz muito barulho, mas, é vazio por dentro. Frase de Barão de Itararé. Conheço muita gente igual ao tambor. Falam, falam e falam e nada se aproveita do que falam. Quem não é vazio por dentro mais prefere ficar calado.

Sempre falavam que o Brasil era a terra do samba. Terra de que música é o Brasil de agora? Nem quero saber. Faz mal pra minha cabeça.

Antigamente, às vezes se sabia de alguém conhecido da comunidade que estava doente. Atualmente, se sabe de muitas pessoas com enfermidades e a gente se pergunta: outro, mais um?  Várias explicações têm pra isso, como, alimentação incorreta, stress, produtos industrializados, insumos tóxicos nas plantas de consumo e outros nas aves e animais de abate e etc. Afinal quais são as causas de tantas pessoas ficarem doentes?

Lembro-me de poucas pessoas do passado que eram gordas. Hoje, além de existirem muitas pessoas gordas, as não gordas, muitas delas são barrigudas. Com o passar do tempo e não tanto tempo podemos ver que homens e mais as mulheres se deformam perdendo suas atratividades. E não adianta reclamar, porque, como se diz, o mundo é dos jovens enquanto assim permanecem, mas, logo...

Muita gente gosta de disfarçar a velhice, até dizem que ela é a melhor idade para se viver. Sei, não! Parece que existem controvérsias para isso. Entretanto têm muita gente que não vê velhice nas pessoas que tem muito dinheiro. Não é raro se ver um velho com uma jovem e nem uma velha com um jovem. A conveniência sempre é mais forte do que a beleza.

Antigamente não se via mulheres tomando cerveja em bar ou na rua e nos esportes que mais eram masculinos. Agora não. Elas estão em todos os lugares e nos esportes. São bandeirinhas de futebol, lutam Box, estão nas rinhas do chamado UFC, na televisão elas dão notícias sobre futebol e até são bem entendedoras desse esporte. Nas arquibancadas elas gritam, choram e até roem as unhas. Fico pensando se elas se esqueceram de como se lava louça, roupa e de cozinhar. Nossa... Como o sexo fraco é forte ou...  Xereta.

Muito bom! Hoje as famílias mais ficam reunidas em suas casas pelo amor mútuo e isso se deve aos bandidos que aconselham a todos para que fiquem em seus lares sagrados.

Têm bandidos que rezam antes de praticarem seus assaltos para que nenhum mal lhes aconteça nessa profissão tão perigosa e desprotegida das leis trabalhistas.

Alguns jogadores de futebol fazem o sinal do Pai Nosso ou o sinal da cruz antes de entrarem em campo para antecipadamente serem perdoados das brigas e pelos pontapés propositais dados aos adversários. Talvez pensem que o “Senhor” venha a assistir ao jogo porque naquela hora nada Ele tem a fazer.

Para muitas ruas a prefeitura contratou manobristas de carros. Isso para os motoristas que são habilitados, mas, devem ser “barbeiros”. Os manobristas ficam pelas ruas indicando onde tem vagas pra estacionar e auxiliam para isso. “Esterça pra esquerda, agora vem, vai, vai, vai”. Se não fossem por eles ninguém saberia estacionar os carros. Eles são muito elogiados pelos motoristas que, contentes dão-lhes uns trocados com muito prazer e sem qualquer constrangimento.
Antigamente os Paes iam aos bailes para verem seus filhos dançarem. Agora, quando viúvos os pais e mães vão aos bailes, nenhum filho vai lá para vê-los dançar. Que ingratidão!

Muitas pessoas que em criança foram obrigadas pelos pais a irem para o jardim da infância, agora se vingam deles mandando-os para o asilo.

Se o Papa viesse para o Brasil por ocasião da Copa do Mundo de Futebol os estádios ficariam vazios, só com os ateus assistindo aos jogos (até parece).

Parece que os evangélicos não têm um Papa e nunca soube se eles canonizaram algum santo. Talvez não precisem disso. Talvez prefiram “beber água” direta da fonte.

Os espíritas nas suas sessões de mesa branca dando as mãos formam uma corrente para descer espíritos que, necessitados de evolução precisam ser doutrinados. Então se deve supor que, no mundo espiritual não haja progresso para as almas desencarnadas.

Tem gente que reza, reza e reza, ora, ora e ora. “Ora bolas”, ainda bem, porque, o mundo está sendo como se fosse o inferno. Se não rezassem e nem orassem ele ficaria pior e isso ninguém quer, pois, já nos acostumamos com esse inferno tão bom e atual.

O vestido morreu. Só se vê mulheres com calça comprida em todos os lugares. Agora perdeu a graça ver mulher cruzando as pernas. Era tão bom.

Por que será que agora muitas mulheres desinibidas tanto mostram quase o total dos seios mais para quem não mais precisa mamar? Mas, mesmo não precisando ainda gostam. Talvez seja por causa daquela criança que ainda existe dentro de nós.

Como entra duro e sai mole pingando, o macarrão na panela quando vai cozinhando vai se tornando uma delícia para quem gosta. Ele engorda, mas não para quem sabe evitar.

Muitas das vezes que pessoas morrem vítimas de bandidos é porque não tiveram tempo de rezar. Se tivessem tido tempo, os bandidos não as matariam e até rezariam também.

Dizem que o homem é uma criatura civilizada. De fato é mesmo, pois, ninguém é corrupto, ninguém rouba, ninguém mata. Está em tempo de desfazer a polícia, porque, ela é uma ofensa para nós, tão santinhos que somos sendo tão civilizados.

Dizem ser necessário aproveitar os momentos da vida. Mas, são apenas momentos, minutos, horas e depois tudo retorna aos momentos sem sensações e só a memória faz lembrar-se daqueles momentos do “foi tão bom, foi tão agradável e etc”. Isso, vez ou outra, por algum tempo e com o passar dele o “foi tão bom e tão agradável” fica esquecido como se nunca tivesse existido. Por isso, muitas pessoas precisam sempre de repetir tais bons momentos e se sabendo quais são, devem ser mesmo sensações para pessoas insensatas.

                                                                                                     Altino Olimpio