domingo, 22 de janeiro de 2012

Envelhecer é ficar insuportável

--Você me pergunta como me sinto nessa fase da melhor idade? Por favor, não me inclua nessa denominação pra enganar trouxa. Digamos que, na idade avançada mais somos dados a refletir, isso, quando se consegue nesta época repleta de interferências. Por exemplo, nesta era da internet temos os canalhas humanos nos invadindo com suas propagandas alheias ao nosso interesse. São chamadas de “spams”. Desertados da ética, da moral, considero-os todos como loucos. Também temos os amigos virtuais no mais das vezes a nos abarrotar com insignificâncias, embora, elas sendo muito significativas para eles. Enlouqueceram também. Reconheço a utilidade da internet quando ela é utilizada para utilidades. Para muitos, coitados, inutilidades lhes são utilidades.
--E você não ficou louco também? Basta você deletar o que não te interessa.
--E não é que você está certo. Fiquei louco sim. Também pudera estou perdido naquele “não sei mais o que fazer”, pois, no computador recebo técnicas para aumentar o tamanho do pinto, regras para emagrecer em poucos dias e tantas outras verdades que me empenho para colocar em prática (risos), tudo a interferir com as reflexões dessa fase “gloriosa” da minha idade. Ah, tem mais! Às vezes pra fugir dos pensamentos torturantes sobre a crueldade que a vida prepara para todos na velhice quando se fica “gagá” e um estorvo para outros, eu vou assistir televisão (Pai afasta de mim esse cálice). Na televisão chamada de aberta, os programas interessantes são sós para as pessoas desinteressantes. Que sofrimento são as propagandas, uma pior do que outra, ridículas e parecem ser mais direcionadas aos fracos de discernimento. Na TV por assinatura temos canais dedicados às educações sexuais para crianças, adultos e velhos. Chupadeira é o que mais se vê até entre mulheres. Excluindo alguns filmes interessantes baseados em fatos reais, a maioria é de uma porcaria bem digna das produções da Americana do Norte. Tais filmes são de ficção tão idiota, tão sem escrúpulos, me forçando a ficar de joelhos e orar para os sem cérebros que assistem a esses filmes.
--Você também está louco. Então não sabes que cada qual vê e assiste o que quer?
--Espera ai, não terminei. Nos noticiários nos despejam as falcatruas de alguns dos lindos galãs de lá do centro de nossa política. Diariamente ver os seus rostos na TV, alguns provocam vômitos ao vê-los insinuados ao se apropriarem no que não é deles e sim do povo. Os espetáculos noticiosos sobre bandidagens, crimes, assaltos, nos faz pensar estarmos vivendo no inferno contrariando o dizer que este mundo é o mundo de Deus. Ainda tem gente que acredita nisso.
--Bem, vou embora. Você além de louco é muito pessimista, revoltado, polêmico.
--Caramba, você perguntou como é o meu sentir nesta minha fase da melhor idade, então, apenas estive expondo como me sinto perante a atual situação. Tenho culpa se você é fraco de visão e audição? Tentei te explicar a loucura do povo aprisionado nesse condicionamento das massas. Tornaram-no condenado só a assistir, a absorver, a copiar, a imitar e muitas vezes até a praticar o que de ruim assiste. Diante dessa breve explanação te pergunto: Hoje em dia você conhece alguém que ainda tem a felicidade de ser mental normal?
--Nossa! Que exagero... Você está generalizando, nem todos estão assim afetados.
--Generalizando... É... Quase (risos). Mas, se você, mesmo de entremeio com esse bombardeio de promulgações (ou deformações) conseguiu evitar ficar louco poderá concluir como muitas pessoas ficaram “saídas de si” para conviver com as imbecilidades difundidas por outros.
--Puxavida! Apenas perguntei como é estar na melhor idade e você extrapolou. Estou indo embora, até mais ver.
--Até mais. Vai com Deus. Diariamente pedem para Ele acompanhar muita gente. Se Ele acompanha mesmo, quem sente isso é mais feliz.

Altino Olimpio