domingo, 12 de setembro de 2010

Amizade ou tolerância?

Amizade! Muito desejável não é mesmo? Mas, não dizem que as boas amizades são quando as pessoas têm o mesmo jeito de ser? Isso hoje é difícil. Cada um tem sua loucura. Uma pessoa que em nada acredita pode se entender com outra que acredita em quase tudo? Se for uma amizade para ambos ficarem calados até que pode dar certo. Quando uma delas começa a falar no que acredita, haja saco para agüentar. Pior é quando uma quer levar a outra onde acredita que é bom. Se a outra recusa a amizade já começa a declinar. Deve ser desgastante ter amizade com quem convive com mentiras e não se consegue lhe abrir os olhos. Alguém já disse: “As pessoas acreditam no que elas querem acreditar”. Nada melhor do que ter amizade com uma pessoa totalmente vazia de conceitos duvidosos, esses que proliferam pelas cabeças ocas da maioria. Quem acredita neles e insiste em exteriorizá-los não é agradável numa conversa com quem é mais realista. Quando é assim, a “amizade” é apenas o “um tolerar o outro”.

Altino Olimpio

Adeus as ilusões

Hei senhor! Como tem passado? Como te estão sendo os dias nessa tua idade já bem avançada? O tempo passou depressa demais. Hoje o senhor já deve ter se livrado de muitas ilusões. Deve ter percebido que tanto falatório, discussões e tantas opiniões lá no passado não serviram pra nada, não é? Já percebeu ou desconfiou que muitas das tuas verdades e as dos outros não eram consistentes. Verdades, pra que servem quando se envelhece e se depara com a realidade que é a proximidade da morte? Já se conscientizou que o senhor não mais faz falta em lugar nenhum? Conseqüência da tua idade e parece que já se habituou a isso. Na tua família, não parece que os filhos vivem em outro mundo? O mundo em que eles vivem é o mesmo em que o senhor já viveu. O mundo das ilusões, das trivialidades, banalidades. Já observou como os animais reagem diante da velhice? Eles não procuram “sarna pra se coçar” como faz os seres humanos. Eles se alimentam, dormem e quase mais nada. Nós é que criamos tanta coisa para pensar, para fazer. Tudo é um passa tempo para esquecer que a morte está se aproximando. Alguns se envolvem e entram nas “ondas dos outros” em práticas que não condizem com suas idades e podem ser um “cair em ridículo” sem saber. Contudo, a velhice traz uma vantagem. É não ter mais saco para ouvir conversa mole dos mais jovens, como se, nada de interesse pudesse vir deles. O sossego deveria estar aliado à idade avançada, mas, vemos que não está nesta época farta de tantas complicações. Dívidas, preocupações, dores, doenças, violência, problemas com familiares e etc. Descubra por si mesmo que na tua idade o melhor é em mais nada se envolver e desfrutar de uma paz que só pode existir dentro de ti mesmo. Como se faz isso? Boa pergunta. Talvez não tenha respostas. Tem coisas que não se consegue responder se quem pergunta preparado não está para entender.

Altino Olimpio